Você sabe qual é a importância das Quilhas no seu surfe?

Postado por Slab Surfshop em

Antes de começar a falar sobre o assunto, prefiro que você já entenda que elas têm uma importância enorme em como você surfa. Alguns shapers, atletas profissionais e estudiosos do surfe dizem que as Quilhas tem uma influência de 40% no desempenho de um atleta. 

É aí que começam os questionamentos: "Pô, mas quilha só muda alguma coisa pra surfista profissional", "Eu sou iniciante, uma quilha não faz diferença", "Prefiro comprar uma prancha nova do que investir em um jogo de quilhas"... E por aí vai. Têm também o lado das pessoas que entende muito pouco sobre a real importância do assunto, e juram de pé junto que as quilhas de plástico são um lixo, não servem pra nada. Isso é outra bobagem, esse tipo de quilha é muito flexível e se ajustado a prancha certa, pode ser exatamente o que faltava pra você encontrar a prancha mágica. 


Já te adianto, se você é profissional ou iniciante, a quilha vai influenciar sim o jeito que você surfa. A quilha não sabe quem tá em cima dela, então se muda pro Kelly Slater, vai mudar pra você também. Muita gente tá com uma prancha mágica debaixo do braço, mas tá puto da vida porque a prancha não funciona. Se você é um desses insatisfeitos com a prancha, indico fortemente que acompanhe nossa jornada de conhecimento, eu garanto que se você ajustar as quilhas, sua prancha vai funcionar. 


O princípio é que não existe Quilha ruim, existe a quilha certa para cada tipo de prancha, sendo o surfista e o tipo de onda outras duas variáveis que afetam as quilhas que vão ser escolhidas. 


Quilha dura, prancha mole. Prancha mole, quilha dura. Esse é o princípio básico para escolher o seu jogo de quilhas. Vamos explicar o que significa uma "quilha dura" e "quilha mole" nos próximos dias. 


Mas afinal, para que servem as quilhas? Basicamente para dar direção e controle da prancha ao surfista. Uma prancha sem quilha, derrapa na onda. Com certeza você já viu por aí algum vídeo alucinante de um surfista quebrando e fazendo linhas animais em cima de um alaia. É bonito de fora, mas já te falo, é preciso muita técnica para conseguir domar essas pranchinhas de madeira. A última vez que tentei surfar uma alaia, enviei uma carta em agradecimento a Simon Anderson por ter inventado as triquilhas. 


As quilhas nos ajudam a controlar a direção da prancha e também a aumentar ou diminuir a velocidade nas ondas. Antes das quilhas, era quase impossível botar pra dentro de um tubo grande e segurar lá dentro por 10 segundos. 


Hoje em dia utilizamos quatro tipos de jogos de quilha. Alguns surfam hoje com pranchas monoquilha, outros utilizam as biquilhas, a maioria esmagadora utiliza o famoso jogo de triquilhas e de alguns anos pra cá as quadriquilhas também ganhou muitos adeptos. 


MONOQUILHAS

Atualmente as monoquilhas são usadas majoritariamente em longboards ou pranchas retrô. Por se tratar de apenas uma quilha, normalmente elas são largas e grandes, sendo quilhas que deixam a prancha mais presa e oferecem muito controle ao surfista. É uma quilha que deixa a prancha difícil de manobrar e favorece um surfe clássico com curvas mais alongadas e lentas. Funciona bem em ondas pequenas, médias e gordas. 


BIQUILHAS

 

Pensa em um jogo de quilhas que deixa a prancha muito solta. Pensou? Se não lembrou das biquilhas é porque você nunca experimentou. A pressão de água que passa livre entre a rabeta da prancha e as quilhas deixa a prancha muito rápida e com muita manobrabilidade. Porém trata-se e uma configuração de quilhas que dá muito menos segurança para o surfista do que as triquilhas. Foi muito utilizada nos anos 70 e 80, quando o australiano Mark Richards se consagrou 2 vezes campeão mundial com essas quilhas. Vale muito investir em um jogo de biquilhas para desfrutar de novas sensações em cima da prancha.  


TRIQUILHAS 

As queridinhas dos surfistas de performance e a grande massa de praticantes ao redor do mundo. É fácil entender porque. As biquilhas sempre foram muito divertidas, mas faltava controle da prancha. A quilha central, mantém a manobrabilidade da prancha e dá muito mais segurança e estabilidade. O surfe que conhecemos hoje, com manobras no crítico e rasgadas que fazem chover até no sertão só é possível por conta das triquilhas. As duas quilhas laterais são anguladas em direção à longarina da prancha, aumentando a projeção e a velocidade. Além disso, as triquilhas são a configuração de quilhas que se ajusta melhor às mais variadas condições de mar. Segura a pressão em ondas grande e ocas e ajuda a gerar velocidade e manobrabilidade em ondas pequenas e gordas. 


QUADRIQUILHAS 

 

Imagina surfar com um mini turbo em baixo da prancha? As quadri vão te dar essa impressão, confia em mim. Nos últimos anos essa configuração de quilhas ganhou muito destaque, inclusive entre tops da elite mundial, e não é para menos. Sem a quilha central gerando arrasto, sua prancha fica muito mais rápida mas sem perder a manobrabilidade graças a duas quilhas traseiras. Esse tipo de configuração funciona muito bem em ondas cavadas e tubulares. Vale a pena pegar aquela prancha dura que tem no seu quiver e colocar um jogo de quilhas quadri pequena ou média para dar maleabilidade para prancha, sem perder velocidade. 


Pequena ou média porque? Isso é assunto pra próxima terça feira. Falar sobre quilhas é complexo e denso. Nos próximos posts vou falar sobre: Os materiais das quilhas, as medidas: Base, Altura, Área, Sweep e Foil. Dessa forma, você vai ter uma visão completa de cada variável da quilha para poder montar seu quiver mágico de quilhas e conseguir ajustar suas pranchas para tirar o máximo de cada uma. Para quem tem apenas 1 prancha, ter o conhecimento sobre as quilhas, vai ajudar a montar o quiver mágico de quilhas para tirar o melhor proveito da sua prancha.

ALOHA!!


Compartilhe esta postagem



Post seguinte →