Dimensões das Quilhas: Tudo o que você precisa saber!

Postado por Bruno Lambert em

Dimensões das Quilhas: tudo o que você precisa saber! 

Uma simples mudança de quilha na sua prancha pode proporcionar uma melhora considerável no seu desempenho e também mudar completamente a sensação que você tem ao acelerar na onda, fazer curvas, arriscar manobras e até mesmo nos movimentos mais básicos. Nos últimos posts, falamos sobre os principais tipos de materiais e também sobre a história dos sistemas de quilhas que utilizamos hoje em dia. Agora chegou a hora de entender como o formato, tamanho e inclinação das quilhas podem te ajudar ou atrapalhar dentro da água. 

Tamanho das quilhas

Um assunto polêmico dentre os estudiosos das quilhas. Muita gente ainda escolhe o tamanho da Quilha pelo seu peso e isso foi tema de intensos debates no mundo do surfe nos últimos anos. Vamos tentar te ajudar a entender que essa equação de peso do surfista x tamanho da quilha não é a melhor maneira de escolher suas quilhas. 

As Quilhas grandes tem a característica de ser mais estáveis, trazendo bastante sustentação e controle para o surfista. Além disso, é uma quilha que se comparada com a Média e a Pequena, é de longe a que traz mais velocidade e força nas manobras. Porém, por ser maior, essas quilhas também são mais presas na água e dificultam a manobrabilidade do surfista que não tem tanta força na perna ou que já tem uma prancha dura. 

As quilhas pequenas por outro lado, são muito manobráveis e soltas e favorecem mudanças de direção rápidas, mas não tem tanto drive e estabilidade como as quilhas Grandes. Já as quilhas médias tendem a ser bem equilibradas quanto a isso, oferecem um meio termo entre velocidade, drive e manobrabilidade. 

Vamos supor que você pesa 90kg mas não pisa tão forte na rabeta e tem uma prancha com muita sustentação e drive mas pouca manobrabilidade. Qual quilha você escolheria? Se eu pudesse te indicar uma, com certeza seria uma quilha pequena, que trouxesse para sua prancha justamente a manobrabilidade que está faltando. 

Por isso é extremamente importante entender como a quilha pode te ajudar, para escolher a quilha certa. Imagina se o cara ali de cima escolhesse uma quilha grande com fibra de carbono na base?? Seria mais difícil manobrar com essa prancha do que com uma gunzera 10 pés.  Portanto, na hora de escolher suas quilhas pense com muita calma qual é o seu objetivo com ela, para depois fazer seu investimento..

 

Base da quilha

Quanto maior a base das suas quilhas, mais drive e velocidade você terá para fazer curvas mais longas e estáveis. O ponto negativo de quilhas com a base grande é a falta de manobrabilidade, principalmente para surfistas que não tem muita força na perna ou não fazem muita força na rabeta da prancha. As quilhas com base pequena oferecem muita manobrabilidade e pouco drive e velocidade. É perfeita para pessoas que usam pranchas muito duras e querem ganhar manobrabilidade! Quilhas com a base grande são muito boas para ondas cavadas e tubulares onde o surfista não vai ter mudanças bruscas de direção e é forçado a seguir na linha da onda. Para ondas mais gordas ou com menos pressão, as quilhas pequenas e médias funcionam muito bem. Lembrando que cada surfista de adapta melhor às condições do mar de acordo com o seu estilo de surfe e a sua prancha!

Altura (Profundidade)da quilha

Tal como acontece com a base da quilha e a dimensão global, quanto maior a altura de uma quilha, mais estabilidade é esperada, enquanto uma quilha mais curta vai dar mais liberação e capacidades de curvas mais rápidas. Quanto maior a altura da quilha, mais profunda ela fica dentro da água, por isso, quilhas mais curtas tem a característica de serem mais soltas e desgrudarem mais em alguns movimentos. Portanto, seguindo a mesma lógica da base, quanto maior a altura mais segura é a quilha, quanto menor, mais solta. 

Foil da quilha

Se você quiser ficar extremamente técnico continue lendo, se você já adquiriu conhecimento suficiente por hoje, tenho certeza que você já tem muito mais conhecimento para adquirir suas quilhas novas. 

Foil é o formato da superfície interna e externa da quilha. Os foils determinam como a água flui através da superfície da quilha. Os diferentes tipos de Foil afetam principalmente a velocidade e hold da quilha.

Existem 3 tipos de foils conhecidos:

 Flat Foil:

A parte interna é plana e a externa curvada.

Proporciona mudanças rápidas de direção. E uma combinação de drive, pivot e hold. Utilizada nas quilhas laterais.

Inside Foil:

A parte interna possui uma curvatura côncava que melhora o fluxo de água sobre a quilha melhorando a impulsão e o hold e diminuído o arrasto. Utilizada nas quilhas laterais.

 50/50 Foil:

Esse é o tipo de foil mais utilizado nas quilhas centrais na configuração de tri quilha e traseiras quando quad quilha. Distribui igualmente o fluxo de água. Entregando uma sensação fluida com estabilidade e controle.

Declividade da quilha

Este é o ângulo da inclinação da quilha da base até a ponta, se você está olhando para as quilhas pela frente. Uma quilha com muita declividade vai inclinar para o exterior em relação à parte inferior da prancha de surf. Se a quilha não tem declividade ele aparecerá bem vertical a partir da parte inferior da prancha.

Mais declividade equivale a mais de capacidade de resposta nas curvas. Menos declividade significa mais velocidade numa linha reta.

As quilhas são confusas e todas as informações aqui passadas são baseadas em diversos estudos nacionais e internacionais. Porém tem um detalhe muito importante: nada disso é regra! Quilhas nos fazem ter diferentes sensações e cada surfista tem diferentes características que influenciam em como nos sentimos com cada equipamento. Por isso pode ser que seu amigo curta muito uma quilha que não vai funcionar para você. Pode ser que você pese 100kg mas se sinta bem usando uma quilha pequena. Por isso eu sempre falo, um quiver de quilhas bem montado e com consciência, pode fazer você se sentir muito melhor em diversas condições de onda. 

Caso precise de ajuda, estamos aqui pra isso. Boas ondas!

ALOHA!!

 

 


Compartilhe esta postagem



← Post anterior Post seguinte →